Blog “La Manta Mojada” é eliminado do Blackblogs

bbes-300x74

Depois de eliminar o blog Tocaia Eco-extremista e Maldición Eco-extremista, desta vez os progressistas de merda do Blackblogs eliminaram o blog em inglês “La Manta Mojada” de seus servers.

Não é surpresa para nós este tipo de ação vinda destes nerds anarco-progressistas, o Noblogs, outro serviço “ácrata”, já andou investindo contra a propaganda eco-extremista pela web que segue INABALADA.

Não adianta apagar nossos blogs de seus serviços, NÓS RESSURGIMOS INTACTOS EM OUTROS e em maior número.

O blog Tocaia Eco-extremista recomenda aos individualistas propagandistas a abandonar a maioria dos serviços anarquistas e buscar alternativas. Para serviço de hospedagem de blog nós recomendamos o Altervista e o TorPress, sendo que este último está na rede onion e funciona apenas pelo Tor. Outra recomendação é estar sempre descarregando o arquivo .xml dos blogs, pois neste arquivo é salvo em códigos todo o conteúdo e informações do blog, de publicações à estrutura, e deste modo se um blog for eliminado em questão de minutos é possível ressurgir com todo o conteúdo em algum outro serviço de blog hosting na web. Basta buscar pela web que facilmente poderão ser encontradas as instruções de como descarregar este arquivo e manejá-lo. Nós do blog TE recomendamos também aos propagandistas a realizar um “backup online” de seus blogs através do serviço Wayback Machine do site Archive.org. Para fazer isso acesse este link e insira o blog a ser salvo no espaço vazio em “Save Page Now” e em seguida clique em “Save Page”. Feito isso o endereço informado será guardado on line e um link será disponibilizado e o conteúdo do blog poderá ser acessado através do próprio serviço do Archive.org. É importante lembrar que A CADA ATUALIZAÇÃO é necessário salvar o blog novamente para que as atualizações sejam captadas pelo serviço, e quando isso é feito um novo link é gerado. O endereço gerado é público e qualquer um pode acessá-lo desde que ele seja divulgado.

A propaganda eco-extremista segue intacta!!!

Nunca deterão a difusão e expansão do eco-extremismo!!!

[Vídeo – ES] PAQUETE-BOMBA: ITS-CHILE

Orgulhosamente publicamos o vídeo sobre as reações, “análises”, mentiras e espanto dos meios de comunicação a respeito do indiscriminado e seletivo atentado de ITS no Chile contra o miserável chefe da maior mineradora de cobre do mundo, Landerretche.

Há mais de dois meses do atentado que comoveu a uma nação, cuspimos na cara dos difamadores, mijamos sobre seus valores e atiramos pestes em seus desejos por querer ter os eco-extremistas em suas jaulas. Que o manto dos antigos cubra aos alegres Mafiosos perpetradores dos atentados no Chile, Brasil, Argentina e México.

Pela propagação dos terríveis atentados, que os alvos dos individualistas percam o sono!

Argentina – Segundo comunicado das Garotas Hostis à Civilização: reivindicação de incêndio a um trem

southern-belize-rainforest

Orgulhosamente divulgamos com profunda cumplicidade a tradução do segundo comunicado das Garotas Hostis à Civilização, desde a Argentina.

Traduzido por Anhangá.

Fogo e terror contra todo o civilizado!

Adiante com os ataques extremistas contra a civilização!
_________________________________________

20 de fevereiro do ano gregoriano de 2017, e voltamos a atacar. Anteriormente havia sido um miserável carro que ardeu devido o nosso fogo incivilizado, já hoje ele se espalhou a um vagão de trem. Às 21:45 subimos tranquilamente na máquina, observando atentamente a cada detalhe, e com os olhos atentos ao nosso redor deixamos o nosso presente incendiário-explosivo, o qual se ativou de forma exitosa, queimando alguns bancos e danando também a parte lateral e superior da máquina, juntamente com o seu sistema de ventilação. Um veículo da imprensa disse que foi uma falha técnica, como é comum nestes casos, mas NÃO, foi NÓS GAROTAS. Provamos mais uma vez o doce sabor da destruição e isso não poderão arrancar de nós nem com todas as mentiras do mundo.

“Apesar da dor, nos fizeram um favor, ficamos mais ligados quando entendemos a razão” – N.D.

efr_oij78-320x192 jhy678trf-270x480 skj1ubifg_0x750-318x480

A destruição de suas máquinas é o que chegou a suas vidas como resposta iminente diante do ataque constante que exercem contra a natureza selvagem.

Seus transportes transportam o ser humano sobre a terra devastada e colonizada, convertida em propriedade/cidade, seja a curta ou longa distância. O transportam em distâncias e em velocidades forçadas, falsas, que nosso corpo poderia alcançar naturalmente. Transportam a multidão cidadã, levando-a a uma cotidianidade funesta, levando-a a seus centros de domesticação, seja o trabalho ou qualquer ponto do cemitério cinza (cidade). São as responsáveis, assim como todas as máquinas, pela destruição da natureza selvagem, promovendo a artificialidade que infecta a terra, representando a sofistifação daqueles transportes que chegaram pela primeira vez a terras não colonizadas e, portanto, responsáveis e cúmplices da existência e perpetuação desta civilização… Fico imaginando: humanos civilizados, vazios, movendo-se como pragas por lugares indômitos e inexplorados, aaargh!! Que nojo!

E agora, igualmente vazios, se atrevem a ironicamente comparar um avião com o mágico vôo de um pássaro, que possui asas reais. Se atrevem a querer se impor sobre a natureza, atravessar as condições, arrasar com o selvagem, tudo com a intenção de obter os recursos que outras espécies possuem. Se atrevem a ultrapassar seus “limites” humanos, quando são os seres mais domesticados e civilizados desta terra. É por isso que seus transportes ardem! Não são igualáveis as asas de uma ave e as patas de uma lebre! Ardem suas máquinas propagadoras da colonização, ardem seus preciosos transportes tecnológicos, arde em chamas o símbolo da nação, arde o seu progresso, arde a cotidianidade, arde o seu pedaço de metal, ardem as suas jaulas, ardem em nome da vingança pela natureza selvagem.

Viemos para lhes entregar juntamente com o fogo em cumplicidade, a fúria que geraram com cada ataque à natureza selvagem, a cada animal que habita até o lugar mais remoto da terra. Há séculos a conquista e destruição seguem, e com esta ação lhes respondemos com um contra-ataque e defesa. Assumimos a guerra que vocês iniciaram contra a natureza. São cúmplices do dano produzido a ela, e como cúmplices, não merecem compaixão, nem vocês nem suas máquinas… Este não é um ato por dinheiro, não tem moral, não é nem político, nem revolucionário, e muito menos, humanamente lógico.

Muito tem sido especulado na imprensa sobre o nosso atentado. Disseram que foi pelas eleições sindicais, que foi uma falha técnica, que foi o motor, o sistema de ventilação, blá blá blá. A verdade é que este golpe que receberam, sim, foi totalmente intencional, e receberam de nós que nos assumimos como terroristas, e verdadeiras inimigas da sociedade. Isto não é uma piada, é MUITO sério. Queríamos fazer voar pelos ares o seu asqueroso tecno-lixo e deixá-lo em pedaços, queríamos incendiar a tudo por completo, queríamos que este fogo se expandisse o máximo possível, mas bem, será para o próximo ato. O combustível com gás butano foi uma pequena amostra, mas NÃO SABEM do que somos capazes.

Que fique claro de uma vez por todas, há seres que não toleram a subjugação do selvagem em busca do aperfeiçoamento da civilização e do progresso tecnológico. Haverá mais fogo, haverão mais bombas, haverão mais atentados, HAVERÁ MORTES, porque isto é uma guerra, a qual enfrentamos posicionadas ao lado das catástrofes naturais.

Aqui, presentes, inadaptadas à vida civilizada, com raiva no sangue rugimos, GRITAMOS!

Cumplicidade com a natureza selvagem e com todos os seres que atacam a civilização!

Por todo o extasiado, pelo não-civilizado!

Um carro, um trem, toda uma cidade, à luz da lua ARDERÃO!

Guerra de morte contra a civilização e os que a sustentam!

Que o manto do oculto apague os nossos passos!

-Garotas Hostis à Civilização

Notas:

1:Primeiro comunicado das Garotas Hostis à Civilização: http://maldicionekoextremista.torpress2sarn7xw.onion/2017/01/30/argentina-ataque-incendiarioexplosivo-contra-maquina/ (Tor)

2:https://ferrocarrilesdelsud.blogspot.cz/2017/02/la-justicia-investiga-el-incendio-de-un.html

3:http://www.infobae.com/sociedad/2017/02/21/la-justicia-investiga-el-incendio-de-un-vagon-de-la-linea-roca-en-constitucion/

4:http://www.clarin.com/sociedad/incendio-intencional-afecto-formacion-tren-roca_0_HJXtsEsFe.html

México – Vigésimo quarto comunicado de Individualistas Tendendo ao Selvagem

Comunicado número 24 de ITS, agora reivindicando um ataque incendiário contra um ônibus cheio de passageiros no Estado do México.

Tradução a cargo de Anhangá.

Morte aos híper-civilizados!

A Guerra continua!
_______________________________________________________

Que se queimem todos. Todos e todas. Todos os miseráveis membros da civilização. Todas suas infraestruturas que estão sob esta maravilhosa terra.

Que se queimem todos por igual, mulheres e homens, estudantes e desempregados, donas de casa e empresários, ricos e pobres, sem importar a cor da pele, classe social ou gênero, porque no fim das contas todos são híper-civilizados, entidades vazias, miseráveis sacos de carne e osso que vagueiam sem pena nem glória, todos carregando o peso doloroso de uma existência efêmera e absurda.

Queimemos a todos os que pudermos, queimemos a tudo o que queiramos. Paixão perniciosa pelo incêndio, pesadelos incivilizados tornados realidade baixo o escuro céu, individualistas em guerra, eco-extremistas amorais, niilistas sedentos de vingança, únicos afins de sangue, incendiemos.

fytvgu65tty-320x132

Na manhã de 14 de fevereiro abandonamos um artefato incendiário dentro de um ônibus com rota destino ao metrô Rosário. O artefato fez o seu trabalho a altura do município de Tlalnepantla, Estado do México.

Se não fosse pelos heróis-civis que interviram, nosso fogo teria consumido totalmente esta maldita máquina. Desta vez houve apenas alguns danos, mas não importa, nosso olhar seguirá mirando à civilização e sua asquerosa cidadania.

Cumplicidade com a Máfia dos ITS, ânimo Clã Oculto Borda de Pedernal, Grupúsculo Indiscriminado, Seita Pagã da Montanha, adiante Sociedade Secreta Silvestre, força para os eco-extremistas da Horda Mística do Bosque após destroçar as carnes de seu egóico alvo.

Cumplicidade com a vingativa Célula Fogo Selvagem.

Que o fogo se extenda pela asquerosa urbe!

Que o fogo se extenda a zonas rurais ao detectar rastros de civilização!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Estado do México

-Ouroboros Silvestre

Chile – Vigésimo terceiro comunicado de Individualistas Tendendo ao Selvagem

Orange Sun Green Jungle Sunrise Skies Forest Trees Sunset Deep Photo Download

Recebemos via email a tradução de Anhangá.

A Horda Mística do Bosque, grupo de ITS no Chile, volta a se posicionar ferozmente calando as nécias bocas dos insensatos.

Adiante com a GUERRA no Sul!
___________________________

Passou-se pouco mais de um mês desde que nosso presente explosivo detonou e feriu o canalha do Oscar Landerretche. O letrado economista, progressista e esquerdista, (já que o próprio era militante do Partido Socialista) (a), titular de uma das incubadoras do progresso, por excelência, no caso, a Universidade do Chile, foi o merecedor de toda a nossa Vingança Selvagem.

Embora suas feridas tenham sido menores fisicamente devido a circustâncias aleatórias na hora de abrir o pacote (b), sabemos que emocionalmente as consequências foram tremendas tanto para ele como para o seu círculo familiar.

Na sequência de nosso inédito, original e certeiro atentado (que atraiu o interesse da imprensa a nível nacional e internacional) (c), muitas coisas foram ditas, algumas muito engraçadas, outras nem tanto. Tem sido dito que o nosso pacote foi um atentado de “falsa bandeira”, nos difamaram, nos menosprezaram, nos evitaram, se horrorizaram, se ofenderam, etc., etc., etc.

Devido a todas estas mentiras, críticas e demais coisas, é que decidimos nos pronunciar publicamente. Individualistas Tendendo ao Selvagem aproveita e aproveitará qualquer instância para difundir e fazer notável a sua presença, não temos problemas algum quanto a isso. Então, vamos lá:

I. Ato repudiável, diversas reações

– Obviamente não esperávamos menos da classe política e da população em geral, sabíamos que se espantariam com o nosso Selvagem atentado. Por isso que desde a presidenta Michelle Bachelet dizendo “que era um fato extremamente repudiável” (d), até seus discípulos e não discípulos fazendo declarações condenando energéticamente o fato (e), tudo isso para nós era algo enormemente esperado.

– Uma das reações que nos causou muitas risadas foi a do “partido ecologista verde” (f). Estes hippientos drogados tem a ousadia de ditar as normas “ecológicas” para o atuar. Por mais que queiram que sua “ecologia” não seja vinculada a nossa Ecologia, nunca conseguirão fazer isso. Pois nós SIM somos Ecologistas, mas dos extremistas, os que estão envolvidos em uma guerra de vida ou morte pela Natureza Selvagem. Seu “movimento ecológico” e suas regras não nos importam, para todas elas nós cagamos e andamos.

Certo, sigam marchando, sigam com suas denúncias, sigam levantando cartazes ou gritando em seus megafones, pois da nossa parte seguiremos com esta Guerra…

Se nossos atentados contribuem para que todo o lixo ecológico-social seja criminalizado, isso é genial. Matamos dois coelhos numa só cajadada.

Não sabem vocês quem foram os responsáveis? Então porque dizem que a bomba foi uma brincadeira de criança?

Se foi uma brincadeira de criança, então vocês podem fazer algo maior? Vocês tem a certeza de que os responsáveis não estão em suas fileiras? HAHAHAHA (g)

Outra reação parecida (só que mais asquerosa e aberrante), é um comunicado assinado por uma dezena de agrupações sócio-ambientais que apareceu num blog igualmente asqueroso (h), o qual não se vale a pena falar muito, porém amaldiçoamos todas as suas lutas pacifistas e sociais em “defesa da terra”. Esperamos que seu movimento sofra toda a criminalização possível, e que a repressão do estado (conceito comum entre eles) não os deixe nem respirar.

– Alguns se benziam pedindo que fosse um incidente isolado (i), mas eles não tem nem ideia, nem imaginam o desejo que ainda percorre por nosso corpo para desferir outro golpe. Este será para quando menos esperarem, contra quem menos espera, não será amanhã, MAS SERÁ. Os cabos positivo e negativo estão pacientes, esperando o momento do próximo contato…

– O presidente da Corte Suprema disse que nosso atentado foi “de uma gravidade tremenda, que pode mudar a história criminal e política no Chile” (j), aiaiai, meu jovem. Nós mostramos que com simples materiais é possível por em xeque um país inteiro (e não estamos exagerando), a frase do miserável acima comprova isso.

É neste ponto, é onde incentivamos aos individualistas de ação a saciar seus mais profundos desejos. Que a impossibilidade de ter ao alcance os meios mais sofisticados não os pare. Se animem manos de ação, pois nada para esta guerra!

– Uns tipinhos “especialistas” em contracultura nos depreciaram e menosprezaram (k), diziam que por nossas faltas de ortografia “não era uma linguagem profissional de guerrilha urbana”, que não estávamos “no direito de defender o povo” e “lutar contra a injustiça”, entre várias outras coisas.

Primeiro, se supõem que um deles é um sociólogo que quis dar uma de escritor, e este diz não nos conhecer. Não nos importamos que não nos conheça.

Não vamos justificar nossas faltas de ortografia, tentamos escrever o melhor possível. Temos a certeza de que é possível compreender o que queremos expressar, e o mais importante é que nossos cúmplices e aguns afins que andam por aí compreendam. Esperamos que este texto saia sem nenhuma falha ortográfica para que deixem de chororô.

Repetimos e enfatizamos a nossa reivindicação de 13 de janeiro onde dizemos que não estamos loucos, pois atentamos com nossos sentidos em 100 por cento de funcionamento. Muitos nos chamam de “loucos” ou “dementes”, inclusive ele mesmo fez isso, só que aparentemente esse escritor de quinta categoria nunca se deu conta de nossa lucidez.

Dizer que queremos “ganhar a simpatia de ITS-México” é uma estupidez que apenas reflete seu desconhecimento absoluto. Bem, não se pode esperar algo muito certo de alguém que pensa que se tratou de um atentado de “ultra-direita”, (abordaremos isso mais adiante), que tem sua mente atrofiada pela luta de classes e outras merdas progressistas.

E sim, usamos sua própria tecnologia para atacar e difundir o nosso pensamento, não temos probemas morais com isso. Ou como acham que nossos ancestrais nativos travaram uma tremenda guerra contra os invasores? Se ocupando com as mesmas armas modernas, claro!

Parece que seu diagnóstico profissional sobre nosso clã errou, (como erraram as vendas de seu livro, que, aliás, nos deve os créditos de propaganda), com essa de que não temos redes para nos abastecer ou nos esconder. Temos más notícias para você, ainda andamos por aí. Eu teria o maior cuidado ao sair do edifício no Marchant Pereira 1925, Providência. Cuide-se, ok? Careca filho da mãe.

Dizem que somos um grupo adolescente devido a nossa linguagem coloquial. Da hora, idiotas covardes, agora todos os manos sabem que somos adolescentes, isso é muito louco sim, mano ooooooh. hahaha estes especialistas de merda não tem nem ideia.

A este casal recomendaríamos que deixem seu expertis de lado quando forem falar de ITS, já que nós não vamos coincidir com nenhum de seus parâmetros, nem regras pré-dispostas. Somos uma complexa e hermética horda de Selvagens contra-revolucionários, misantropos, Niilistas, delinquentes….. Ahh, e adolescentes a partir de agora, sacou?

– Um cientista político que fala em nome do anarquismo (I) (mesmo sem ser um), vomitou umas declarações muito de acordo com sua classe, ou seja, torpes. Começa mentindo descaradamente, dizendo que os anarquistas não são parte de um movimento violento. Aparentemente este tipo de pessoa leu apenas León Tolstói e os anarco-cristãos. E o mais engraçado é que no final pretende nos insultar nos catalogando de seitas satânicas. Crê ele que nos taxando de místicos para nós é um agravo, só que muito pelo contrário, basta apenas ler o nosso nome, imbecil. Mais adiante disse que somos uma espécie de “Al Qaeda do ecologismo”, ohhhh isso não nos ofende, nos sentimos honrados.

II. A caça aos eco-extremistas

No dia seguinte da explosão do pacote-bomba, em uma reunião de última hora se juntam os chefes da polícia e da “inteligência” chilena (m). Nela os responsáveis pela segurança do estado arrancam os cabelos e se perguntam “como foi possível que um grupo internacional com um histórico nos tenha efetuado um atentado tão inédito”? A resposta é simples e como disse outros cúmplices: somos a AMEAÇA INVISÍVEL, estamos de tocaia esperando o momento preciso para cravar nossas presas. Conspirando nas sombras, com o som dos grilos e com a luz da Lua ao nosso lado.

Como esperado, lançam suas estéreis ameaças dizendo que “em breve irão nos capturar”, que é para a “cidadania confiar em suas instituições”, cueeekkk.

Enquanto isso, o promotor encarregado de investigar os atentados explosivos começa um intenso trabalho de coleta de informação, (n) desde resgatar material genético até revisar câmeras de segurança. As declarações dos promotores expressam o quanto será difícil encontrar alguma pista nossa, e em uma delas dizem que se trata de uma ação bastante planificada e sofisticada. Desde aqui dizemos: certo, sigam buscando material genético (o), sigam revisando as câmeras de segurança (p), sigam revisando as centenas de nomes, sigam e sigam, temos a certeza de que não encontrarão nada valioso.

III. Conspirações, falsa bandeira e ultradireita

Desta forma é como entramos em cheio na última fase após um atentado tão público como o nosso. Devido à falta de resposta e a ineficiência das investigações para encontrar os responsáveis pelo incidente, era óbvio que se começaria a desacretitação, as acusações de que somos uma “montagem do estado”, e várias outras teorias conspiratórias. Cabe dizer que, desde o início alguns imbecis nos acusaram de ser uma “artemanha do poder”.

Antes de mais nada, um dos principais teóricos da conspiração foi o próprio bastardo que ferimos, em uma de suas declarações para uma revista de sua mineradora (q), se encarrega de reforçar o que já vinham cochichando os nécios de sempre.

O infeliz cético de nossa existência desconfia se somos realmente os responsáveis por suas feridas. Defendendo sempre as mesmas teorias de que nosso ato foi uma montagem. Montagem de quê? Nunca explicam isso.

E sim, na verdade incomodou gente como nós, os que não estão dispostos a deixar passar batido os danos à Terra que causa a empresa que preside, por isso escrevemos isso e nos vangloriamos de tuas feridas. E sim, tu sabe muito bem ao que se deve estas crostas em teu corpo, sabe muito bem…

Este, que na mesma noite do ataque aparece com a maior cara de vítima (r), mostrando suas ataduras, (as que sem dúvidas mereciam adornar a cabeça ou a um olho), fazendo cara de malvado e dando declarações energéticas. Nosso presente não teve uma pitada de covardia, mas de violência teve muita, isso sim. E sim, conseguimos mudar a porra da tua rotina familiar e o teu miserável estado emocional (s). Sim, você teve “sorte” (e muita), as provas antes do atentado com este tipo de pólvora de fósforo e com menor quantidade geraram fortes explosões! Nem mesmo nossa mensagem oculta na apresentação do pacote gerou alarme. Obviamente queria apressadamente abrir o “presente” e ler com interesse o livro sobre mineração que lhe havia enviado o teu colega da FCFM, aaahahaha, pobre ingênuo.

Muitos menosprezaram a potência do explosivo, dizendo que o recipiente “era muito pequeno”, que “era muita pouca a pólvora”, ou que “esta pólvora produzia apenas incêndios”????? (t), e que “apenas buscávamos a atenção da imprensa”. Este último é verdade, não negamos que queríamos que todos falassem de ITS, obviamente queríamos propagar o nosso discurso, por isso reivindicamos quase que instantanemante a ação, mas o primordial era ferir o alvo o máximo possível.

O suposto baixo poder destrutivo da carga explosiva é desmentido por nossos próprios testes anteriores, e inclusive o próprio promotor encarregado da investigação reconhece que “o pacote poderia ter tido consequências muito mais graves” (u). As fotografias que os gambés tiraram de uma perfuração na cozinha e as janelas estouradas evidenciariam tudo isso.

Alguns politiqueiros do governo (e não políticos) como sempre em seu papel vitimista, hipócrita e pestilento levantaram a teoria de que nosso atentado foi executado por grupos de “ultradireita” (v). Estes miseráveis tem uma espécie de trauma com a detonação de bombas. Aparentemente cada explosão os recorda o bombardeio ao La Moneda em 73, e a seu inimigo número um, um certo Pinochet. Que entendam que não nos interessa merda nenhuma a “lei do cobre”, a “lei do ouro”, ou qualquer outra lei. A única coisa que nos interessa é devolver um pouco de todo o dano que infringiram à Terra empresas como a Codelco e outras.

Outros questionaram mais enfaticamente nossas “verdadeiras motivações” dizendo sem meias palavras que somos uma “conspiração de não sei o quê”, e de novo nunca explicam. Em uma reportagem da TV (nota t), exibem isso. Embora esta reportagem seja bastante completa, abrangendo grande parte da história de ITS desde 2011 até agora, tudo fica manchado com a ideia conspirativa exposta. É possível notar que leram um trabalho jornalístico que uma rádio fez sobre nós (w), em certas ocasiões são uma cópia descarada do próprio. Outra nota jornalística que também põe em dúvida nosso atentado, inclusive descarta a nossa participação (x), se baseia na ideia de que o presente foi enviado desde Chilexpress e não do Correios do Chile. Na moral, o que importa de onde foi enviado ou se permaneceu um dia inteiro num depósito? Por acaso não é o suficiente as imagens anexadas em nosso comunicado?

A verdade é que todas estas difamações e acusações não nos surpreendem, sabemos bem como funciona a mídia de massa, não nos assustamos. Não nos faremos de vítimas acusando a mídia de mentirosa. Escrevemos estas palavras para evidenciar que seguimos na jornada Egoísta em defesa extrema da Natureza Selvagem, que estamos cagando para a inteligência policial. Seus promotores exclusivos são uma PIADA.

No momento nós iremos continuar, reapareceremos quando menos esperarem, que isso fique claro. Vamos ver se quando voltarmos os tolos de sempre seguirão nos chamando de “montagem”.

IV. O cabeceador revolucionário agride idosos

Como esperado, nem todas as reações foram da imprensa, nem de grupos sociais ou de políticos. Não! Faltavam as reações dos revolucionários anarquistas, ofendendo e atacando o que somos e defendemos (y). Desta vez, o preso revolucionário Joaquín García nos mencionou e se referiu a nosso atentado em uma caralhada de blogs de cunho contrainformativo-antiautoritário-amém.

Dizemos de uma vez por todas que não temos problemas com o fato de nos criticarem ou nos atacar. A esta altura já estamos acostumados, e de fato, até gostamos de ler as críticas (somos um pouco masoquistas, isso é fato). Mas se atravem-se a nos lançar merda, tenham em mente que nós sempre iremos devolver, e sempre de uma forma mais hedionda.

Na verdade, este prisioneiro não disse nada novo, falou mais do mesmo: a moral dos ataques, a consciência revolucionária, e demais lombras. Quando irão entender que nós não somos “revolucionários”, que não nos interessa a “revolução”? Este conceito está completamente obsoleto, não possui nenhuma validade no presente, quem acredita na “revolução” e pretende uma, deve questionar seriamente seus propósitos. Deve focar-se no aqui e no agora, sacudir a ideia de que já estamos no século XIX, e fazer um exame de sangue para descartar uma doença neurológica.

Nossos ataques não tem regras, nem moral nem nada do que você acredita, Joaquín. Por que segue questionando nossos métodos se temos “uma diferença inconciliável entre os diferentes pensamentos”? (como você disse), já basta, não?

Este louco “odeia até o talo” o nosso discurso, porém aplaude, admira e saúda o nosso atentado. O quê??!! Esta declaração apenas reflete a sua complacência total. Por que não saudar as ações dos nazistas que tanto deve odiar? Você igualmente detesta o discurso deles, mas não saúda seus ataques? Que estranho…

Que bom que se distancia do nosso misticismo e de nossas crenças chamadas de absurdas, pois por um momento nos esquecemos de que o que este tipo de pessoa defende é o “mais” certo, “lógico” e “coerente” da terra. Por favor, não comecemos a falar de coisas absurdas que seguramente sairá perdendo, preso recapturado.

Para que saiba, levamos nossas crenças pagãs com o máximo orgulho, nós revivemos o misticismo de nossos ancestrais e fazemos com que ele seja o nosso. Enaltecemos todo o Selvagem e Oculto. Declaramos sem rodeios que a Natureza Selvagem é nossa autoridade, porque está acima de nós e de tudo que há na Terra. Ela é quem dita nossos passos e é ela que diz quando chegará a nossa hora.

Não sabemos porque estes anarquistas se incomodam tanto com nosso misticismo…. ou, na verdade, sim, sabemos; é por seu chocante e esqueroso ateísmo ocidental que tanto defendem como regra de ouro dos “sem regras”. Como uma prostituta agarrada ao pau de seu cliente, estes anarquistas não se separam nem um pouquinho de suas raízes derivadas do Iluminismo.

Agora que já sabe, melhor seguir dando cabeçadas em idosos, aliás, que bom que tenha dado uma cabeçada num velho, aparentemente neste momento se esqueceu de toda a sua chata “moral revolucioária” com a qual veda a tua boca. Olha e diz “aaaaaaai que mau é enviar uma bomba à casa de alguém sem se importar com a família”, mas é só bater em velhos raquíticos que te aplaudem!

Agora entendemos porque tua agressão foi elogiada por todos aqueles que hoje nos lançam merdas, toda essa coisa de esquerdistas fedidos, e é porque tua ação foi uma “cabeçada moral-revolucionária” executada pela ideologia “não-absurda” que defende, pffff!

V. Terminamos

Para concluir este comunicado, queremos dizer apenas mais uma coisa:

A ameaça do Eco-extremismo no Sul está mais latente que nunca, nosso atentado foi apenas uma faísca da fogueira que iremos acender. Embora nossos inimigos se cuidem e se entrincheirem, se escondam ou talvez até se esqueçam disso, nós seguiremos aí, observando-os, de tocaia para gerar mais feridas, mais terror, mais confusão, e na melhor das hipóteses, tornar realidade a primeira vítima mortal de ITS no Chile.

Com a Natureza Selvagem a nosso lado!

Vivam nossos Ancestrais e seus Espíritos Pagãos!

Que a Neblina das Terras Malditas do Sul siga apagando nossas pegadas!

Adiante Máfia Internacional dos ITS!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile

-Horda Mística do Bosque

Notas:

a)http://www.elmostrador.cl/noticias/pais/2017/02/02/ps-presenta-querella-por-atentado-explosivo-a-oscar-landerretche/

b)http://www.latercera.com/noticia/landerretche-quienes-provocaron-atentado-casa-lo-hicieron-lo-estamos-codelco/

c)http://derstandard.at/2000050754776/ChileOeko-Terroristen-bekennen-sich-zu-Anschlag-auf-Minenchef

http://maldicionecoextremista.altervista.org/reacciones-internacionales-tras-atentado-de-its-chile/

d)http://www.cooperativa.cl/noticias/pais/bachelet-por-atentado-contra-landerretche-es-un-hecho-repudiable/2017-01-13/195628.html

e)https://www.youtube.com/watch?v=GANJmcViIZM

f)https://www.youtube.com/watch?v=lgkP42CuOMY

g)http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/chile/2017/01/16/grupo-ecoextremista-resalta-amenaza-y-trata-de-miserables-hippies-al-partido-ecologista.shtml

h)http://kaosenlared.net/chile-organizaciones-del-ambientalismo-consecuente-repudian-atentado-a-landerretche-y-rechazan-calificativo-de-ecoterrorista/

i)http://www.latercera.com/noticia/presidente-la-cpc-aten:tado-landerretche-esperamos-sea-hecho-aislado/

j)http://www.latercera.com/noticia/dolmestch-ataque-landerretche-puede-cambiar-la-historia-delictual/

k)http://www.lanacion.cl/expertos-en-contracultura-describen-perfil-de-los-individualistas-tendiendo-a-lo-salvaje/noticias/2017-01-16/174412.html

l)http://www.quepasa.cl/articulo/opinion-posteos/2017/01/la-mayoria-de-los-anarquistas-no-son-violentos.shtml/

m)https://www.youtube.com/watch?v=dcEuzm2s9yo

n)http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/region-metropolitana/2017/01/23/fiscalia-lidera-diligencias-para-precisar-lineas-investigativas-de-atentado-a-landerretche.shtml

o)http://www.latercera.com/noticia/buscan-adn-restos-biologicos-hallados-bomba-enviada-landerretche/

p) https://www.youtube.com/watch?v=ACw9agbqgeE

http://www.24horas.cl/nacional/paquete-explosivo-a-landerretche-habria-sido-enviado-desde-chilexpress-de-san-joaquin-2261156

http://www.latercera.com/noticia/landerretche-fiscalia-pide-informacion-chilexpress/

q)http://www.latercera.com/noticia/landerretche-grupo-se-atribuyo-atentado-puede-una-fachada/

r)http://www.t13.cl/noticia/politica/oscar-landerretche-fue-atentado-realmente-muy-violento-y-cobarde13

s)http://www.quepasa.cl/articulo/ojos-de-la-llave/2017/02/las-medidas-de-seguridad-de-landerretche-pos-atentado.shtml/

t)https://www.youtube.com/watch?v=jhwLMtVfL8U (min. 10:05)

u)http://www.t13.cl/noticia/nacional/fiscal-guzman-indico-atentado-oscar-landerretche-es-muy-grave-e-infrecuente

v)http://www.cooperativa.cl/noticias/pais/policial/atentados/camilo-escalona-apunto-a-la-ultraderecha-como-autora-de-atentado-a/2017-01-19/114944.html

w)http://www.biobiochile.cl/noticias/nacional/chile/2017/01/18/que-es-el-eco-extremismo-analisis-de-individualistas-tendiendo-a-lo-salvaje.shtml

x)http://www.eldesconcierto.cl/2017/01/17/no-fueron-los-ecoterroristas-investigacion-descartaria-participacion-de-its-en-ataque-a-landerretche/

y)https://es-contrainfo.espiv.net/2017/02/06/prisiones-chilenas-comunicado-del-companero-joaquin-garcia-chanks/

[Vídeo/Texto – EN] Atassa Update

Informativo número 2 da revista Atassa, onde Abe Cabrera dá algumas atualizações e notícias em torno da revista eco-extremista em inglês.

O chefe-editor da Atassa fala sobe seu recente trabalho intitulado “What the Internet Looks Like”, publicado em Hunter/Gatherer, no qual critica as implicações hiper-civilizadas do uso da tecnologia nesta era moderna. Também expõe sua postura anti-política sobre os acontecimentos recentes nos Estados Unidos.

Apoiando as iniciativas de difusão eco-extremista!
_________________________________________________________________________

What the Internet Looks Like

Ingrid Burrington’s book, Networks of New York: An Illustrated Field Guide to Urban Internet Infrastructure, is probably the opposite of what an eco-radical would want to read, but it shouldn’t be. For one thing, I have never been a fan of nature field guides, whether these aim to teach which plants are edible, which birds can be seen at what time of year, and other facts related to outdoor activities. I would argue (perhaps flippantly) that those field guides affirm a cultural lie, namely that “Wild Nature” exists as a separate geographic space that can be returned to at one’s leisure. Or rather, nature can be compartmentalized and preserved as a sanctuary in the midst of a hyper-technical world. I am guilty of doing this, of course; of “Googling” what a random berry was while on a hike and other reluctant uses of technology.

Burrington’s book aims at the opposite: to illustrate what our world is really like in the place that is most “our world” than any other: New York City. I am not the most well-travelled person in the world by any means, but I have seen my share of cities. None can compare with the overwhelming mass of concrete, glass, and asphalt that one faces when entering the island of Manhattan. Burrington’s own tour aimed to “find the Internet” in the midst of the largest city of the wealthiest country in history. Complete with drawings and illustrations, it is a field guide in every sense. The book shows you what a particular manhole cover means, where to find important Internet exchanges, as well as the politics of the myriad of video cameras and other detection devices that are used to fight terrorism and crime. Burrington illustrates the physicality of the Internet, which in the end is the key to its ineffable transcendence:

One of the hardest parts of trying to see the Internet, of trying to even answer the question of how you see the Internet, is scale. The writer Quinn Norton has written of the difficulty of telling stories today in “a world where falling in love, going to war, and filling out tax forms looks the same; it looks like typing.” There is an unexpected intimacy to living with screens, but that intimacy does not typically extend to the cable and conduits the screens rely upon. As the ‘division’ between real life” and “online life” is increasingly understood to be fiction (i.e. what people say and do online has real-world consequences, retweets are not endorsements, your boss can find your Tinder profile), the Internet’s landscapes continue to appear at a remove from those physical landscapes where we fall in love, go to war, and fill out tax forms. Ironically, the reason we can ever have those weirdly personal moments with machines is because the landscapes of the Internet are folded into the landscapes of everyday life. We basically live inside a really big computer.

What Burrington does in the following pages is describe what that “really big computer” looks like. This is often difficult since part of the illusion is that the computer is invisible, that we continue to see “the computer” as something we write with at a desk or that we carry in our pocket. There are symbols on the ground for the thousands and thousands of miles of fiber optic and other wires that power and transmit information between machines. All of these symbols have a history and a special meaning. There are class considerations as well: companies like Verizon place modern and faster wire infrastructure under wealthy and gentrifying neighborhoods, even when political measures have been made to keep the Internet “democratic.” The movement of the economy itself, reduced to the logic of the roulette wheel and the Blackjack table, often hinges on the fractions of a second advantage that a certain fiber optic cable has over another:

The pursuit of a microsecond advantage led to a lot of demand on Wall Street for low-latency networks, a term used to describe the length of delay in data transmissions. Lower latency means less delay and faster trades. After apparently reaching the limits of mathematics for increasing speed, traders turned to physical proximity for lower latency. Data centers that housed stock exchanges offered expensive colocation services that placed a trading firm’s servers closer to the exchange servers to improve latency (since the cable connecting the servers was shorter, data traveled a shorter distance and got to the server faster). New companies emerged, promoting ultra-low-latency networks by leasing private fiber lines. One company, Spread Networks, built an entirely new fiber optic network from Chicago to New York to be able to achieve – and charge hundreds of thousands of dollars for – a three-millisecond advantage.

Even here, in spite of the Internet being an ethereal entity in the everyday imagination, its physicality is a pressing concern at the highest institutional level.

On the ground, the Internet is visible in junction boxes and under manhole covers, with large exchanges of wires transmitting and governing billions of activities. LinkNYC is a system of free Wi-Fi kiosks that aimed to replace the obsolete network of payphones during the middle of the last decade. While the free Internet access is appreciated by some when wandering the city, groups like the American Civil Liberties Union have raised concerns regarding the tremendous amount of data collection that these kiosks carry out in the effort to “better serve” users. It is not clear what happens to the data, or if it is shared with other government agencies, especially law enforcement. As Burrington writes:

To paraphrase George Orwell, if you want a vision of the future of public Wi-Fi, imagine a corporation doing exactly the kind of vaguely slimy things corporations do by design – forever.

In another place in the book, Burrington makes the accurate analogy of one’s personal Smartphone constantly “barking” one’s presence to Wi-Fi hotspots, thus making anyone easily locatable at least in theory.

The Internet may not be in one place, but it does have important centers which, in a city like New York, are often major buildings that were important during past eras of the communications industry. These are the “carrier hotels” where different Internet Service Providers (ISPs) and network companies “check in” and cross one another. These buildings, such as the ones at 60 Hudson Street and 32 Avenue of the Americas, aren’t exactly a secret, but neither are they open to the public in many instances. Burrington comments half-jokingly that these major pieces of infrastructure have not quite reached tourist-stop status as in the case of Hoover Dam or other impressive public works.

The last part of Burrington’s book concerns infrastructure that is tied into the Internet but that consists of things that we don’t usually think of as the Internet. These include cell phone towers, Read Radio Frequency Identification devices embedded in E-ZPass devices (for toll collection), ShotSpotter which detects gunshots in urban environment to assist law enforcement, and surveillance cameras in subways and street corners. If the world is now a computer, these devices are its eyes and ears. Many of these systems communicate with each other wirelessly. The cameras of the New York Police Department are a particularly mysterious web of machines that dot the urban landscape. As Burrington writes:

When I filed a Freedom of Information Act request for the exact number and location of these cameras, I was denied on the grounds that it would reveal “non-routine techniques and procedures”; furthermore disclosure “would enable the planning of criminal activity so as to reduce the possibility of being caught on video.”

Overall, Burrington’s book gives both a physical and incorporeal portrait of the Internet in a hyper-urbanized environment. It describes the Internet as infrastructure composed of metal, plastic, mortar, and other elements. On the other hand, its astounding complexity, its mind-boggling reach, and its penetration deep into the human psyche make it an almost spiritual phenomenon: the assembling of people and technology into a hive-mind of astounding proportions. One wonders if it is impossible to attack the Internet since human beings themselves, domesticated and hyper-civilized humanity, have become the Internet. Or to invert the characterization of Nature by the early Karl Marx, perhaps the goal of civilization is for man to become the organic body of the Machine. And as Burrington cites in her book, how this occurs looks a lot like typing.

[Vídeo – EN] Response to John Zerzan

Vídeo resposta do chefe da revista Atassa ao velho hippie Zerzan e sua cria, Kevin Tucker.

Aparentemente, os eco-extremistas nos Estados Unidos tocaram em pontos frágeis para os anarco-primitivistas, pois eles escreveram colunas e colunas de supostas críticas, e emitiram vários comentários diretos e indiretos em suas rádios “auto-geridas”.

Pela derrubada das velhas ideologizações, o presente está preenchido de horrores, apenas os mais valentes se atrevem a entrar nisso e assumir as consequências!

________________________________________________________________________

Como um terremoto: deliquência generalizada estremece o estado do Espírito Santo

xespirito-santo-caos-jpg-pagespeed-ic-vgpq_ensei-webp

A cidadania ainda bastante aterrorizada tenta aos poucos voltar à “normalidade”. Uma paralização de pouco mais de uma semana das forças policiais do estado do Espírito Santo fez eclodir o Caos total por toda a região que logo foi completamente dominada pela delinquência generalizada.

Num curto espaço de tempo ocorreram quase 150 assassinatos (média de 14,5 por dia), 200 carros foram roubados, inúmeros comércios foram arrombados, invadidos e roubados por bandos delinquenciais e cidadãos comuns tendentes à criminalidade, arrastões por todas as partes ocorreram, centenas de roubos, assaltos e sequestros de pessoas foram registrados, ônibus foram postos em chamas, serviços públicos se encerraram, necrotérios lotaram de corpos e até um convento foi roubado e um frei de 80 anos foi amarrado e espancado. Ruas ficaram vazias, civis permaneceram sitiados em suas casas, mercados e lojas tornaram-se locais desérticos. O terror-pânico dominava a mente da massa cidadã que indignada reclamava nas redes sociais trancada à sete chaves dentro de suas casas enquanto lá fora uma tormenta criminal ocorria e a tudo devastava.

O prejuízo total à cidadania pode ultrapassar os 300 milhões de reais e deixou um rastro de destruição e terror. O Caos foi tamanho que houve a necessidade de intervenção das tropas federais de segurança no estado.

Nos alegra ver os civis fugindo aterrorizados e a cidadania abalada como se fosse atingida por um sismo. Nos alegra ver a vida cidadã esquartejada. Nos alegra ver o Caos total dominando as suas asquerosas cidades que um dia sepultaram maravilhosos bosques milenários.

Nós eco-extremistas estamos pelo Caos total nesta miserável civilização e enaltecemos qualquer ato criminoso que sequele o corpo do sistema tecnológico-industrial e desta maldita sociedade. Nós niilistas e eco-extremistas tendentes ao amoral e indiscriminado terrorismo enaltecemos a delinquência generalizada e incentivamos o seu mais elevado grau de manifestação!

Pelo plantio do Caos Total na Civilização e no Sistema Tecno-industrial!

Pela expansão do Terror e da Delinquência Generalizada!

Morte à cidadania, morte aos valores sociais, morte à civilização!

___________________________________________________

Da imprensa:

Ampla maioria de mortos no ES era homem e vivia na Grande Vitória

u4bm5vm0k0tu2x55ale44fiy2005789

Dos 145 assassinatos registrados durante a crise de segurança, 91 ocorreram na região metropolitana; quase nove em cada dez vítimas eram do sexo masculino.

Pelo menos 145 pessoas foram mortas no Espírito Santo em dez dias de paralisação da Polícia Militar – do dia 4 de fevereiro, quando as mulheres dos policiais passaram a bloquear a saída dos batalhões, até a última segunda-feira -, segundo levantamento do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol/ES). A “greve branca”, como definiu a Justiça, resultou na maior crise de segurança pública já vivida pelo Estado.

A média de 14,5 mortes desse tipo por dia é muito superior à registrada em todo o ano passado, que foi de 3,2. A grande maioria das vítimas foi de homens (88%) – veja quadro abaixo. O governo estadual, comandado por Paulo Hartung (PMDB), prometeu, mas ainda não divulgou um levantamento oficial da violência no período.

As sete cidades da região metropolitana de Vitória foram palco de 91 mortes. O município de Serra foi, disparado, o campeão – 32 vítimas. Em seguida, vêm Cariacica (20), Vila Velha (19) e a capital (11), todas na mesma área. No interior, o município mais violento foi São Mateus, no norte do estado, com nove assassinatos. Em Nova Venécia, no noroeste, foram oito.

O bairro Morada de Laranjeiras, na cidade de Serra, foi o que mais registrou mortes – seis pessoas foram assassinadas, no total. O segundo é Aribiri, em Vila Velha, com cinco.

Além dos assassinatos, durante os dias de grave, comerciantes do Estado tiveram suas lojas saqueadas e acumularam um prejuízo de cerca de 4,5 milhões de reais. Além dos saques, roubos e furtos também se tornaram rotina no dia a dia do capixaba. Logo nos primeiros dias da greve dos PMs, era possível se observar ruas vazias e comércio fechado. Órgãos públicos e bancos funcionaram com o expediente reduzido, e escolas adiaram o início do ano letivo no estado.

Na segunda-feira, o frei Paulo Engel, 80 anos, foi amarrado durante um assalto ao Convento da Penha, em Vila Velha, na região metropolitana de Vitória. Nesta terça-feira, no entanto, já era possível ver PMs nas ruas e a ordem parecia estar sendo restabelecida. Os ônibus também já voltaram a circular em Vitória, na região metropolitana e interior.

[Tü] Inihilium

tumblr_static_tumblr_static_3gl360l2fs6cwwgs44cwgcwkk_640

Com orgulho apresentamos um novo projeto turco na web, o cúmplice Inihilium.

Pela expansão do Niilismo Terrorista!

Pelo ataque indiscriminado e seletivo!

Morte à moral do ataque!
_____________________________________________________________________

Bu yeni site REZNOV ile birlikte aynı verileri paylaşırken, nihilist proje olan Nechayevschinaed‘in de söylediği gibi, aşağıdaki konuları ele alır:

Terörizm: Nihilist, eko-aşırı ve politik karşıtı bireyler tarafından yayınlanan saldırılar, bildiriler, ahlakdışı tartışmalar, yazılar, fanzin, dergi ve daha fazlası.

Egoist Yasadışılık: Soygun, hırsızlık, ahlakdışı dolandırıcılık ve daha fazlası.

INIHILIUM toplumsal ütopyaları tırmandıran yazı veya konuları, yakınların duygusal eylemlerini, ve “uyarıcı hümanist çağrıları” yapan grupları takip etmez. Bu ders ile dini veya ideolojik aşırılıkla ilgili bombalama veya (gelişigüzel olmasına rağmen) grup metinlerini yayınlamayacağını belirtir.

Bireycilik ve nihilizme doğru!

Toplum ve onların ahlakının imhası için!

Nihilist terörist ve eko-aşırı grupların yayılması için!

Gelişigüzel ve seçici saldırı için!

http://inihilium.altervista.org

untitled-2a84fc-320x136